Galeria
TransGranCanaria 2012
Redes Sociais
Actividades/Treinos – Todas
Garmin connect LF201xs
Afis/Ovar

AFIS/Ovar


Meia-Maratona Cidade de Ovar

Meia-Maratona Cidade de Ovar

Archive for the ‘Meia-Maratona’ Category

Janeiro de 2011 activo qb :-)

Depois de começar o ano com um  mini-trail de ano novo no dia 1 e uma voltinha de BTT no dia 2 (afinal era necessário queimar as calorias resultantes dos excessos da passagem de ano), terminei o mês de volta à competição na Meia-Maratona de Viana, onde apesar de não ter treinado grande coisa devido a uma lesão contraída a praticar BTT, fiz 1:35:59, tendo obtido  o 617º lugar na geral (127º no escalão M40).

Pelo meio a participação em dois passeios de BTT:  Marcha do Requeson e 1º Raid à Fogaça num total de mias de 290 Kms percorridos e de cerca de 24 Horas de prática de desporto (isto sem contar actividades não registadas tais como algumas corridas ligeiras e entre 2 a 3,5 Km de natação por semana)

Activity Type Count Distance Time Elevation + Avg Speed Avg HR Calories
Running 10 109.78 09:25:40 667 11.6 155 8.298
Mountain Bike 4 138.09 10:32:49 3.066 13.1 140 6.526
Road Cycling 2 22.91 01:01:02 181 22.5 129 627
Trail Running 1 19.37 02:20:51 591 8.3 1.606
Summary 17 290.14 23:20:24 4.505 12.4 144 17.057

XVIII Camiño do Requeson – 16 de Janeiro de 2011

Este passeio de BTT, realiza-se todos os anos no inicio de Janeiro, na povoação de As Neves, na vizinha Galiza.

Da minha parte já começa a ser um clássico, uma vez que esta já é a 3ª participação consecutiva, e já tenho uma prole de amigos que também já participaram nas duas ultimas edições.

É uma prova que se caracteriza por ser algo dura, normalmente com os primeiros 15 a 20 Kms sempre a subir e que, pelo facto de se realizar no inicio de Janeiro, tem ainda os imponderáveis do tempo a ajudar a essa dureza (por exemplo o ano passado o percurso estava em grande parte geado e durante a prova nevou .

Este ano, curiosamente, o tempo esteve óptimo para a pratica do BTT e o percurso escolhido foi, como não podia deixar de ser duro e com muita lama, mas também muito bonito, em especial na parte final, onde percorremos alguns kms pela margem do rio minho.

Foi uma bela jornada de BTT e de confraternização, com o único senão de ter feito uma distensão muscular, por ter escorregado ao pousar o pé quando saia da bicicleta.

Mais informações  sobre o Camiño do Requeson em http://www.cclamprea.com/cclamprea/index.php


1º Raid à Fogaça – 23 de Janeiro de 2011

Uma semana depois do Requeson, mais um passeio de BTT organizado pelo Rotary Clube da Feira, cujo percurso decorreu em zonas onde normalmente ando, mas no qual participei com todo o gosto, uma vez que o mesmo tinha fins de beneficência.

A prova percorreu trilhos do concelho da Feira e de Ovar, com um grau de dificuldade médio/baixo, mas em algumas zonas a exigir algum esforço e pericia devido à muita lama que fomos encontrando.

Uma vez que o percurso só tinha 30 Kms, para fazer um treino mais longo, fui desde Ovar (e voltei) até ao local de partida no centro da Feira de bicicleta.

Mais informações sobre a prova em http://raidbttfogaca.blogs.sapo.pt/


XIII Meia-Maratona de Viana do Castelo – 30 de Janeiro de 2011

Apesar da lesão contraída no Camiño do Requeson me ter impedido de treinar convenientemente corrida nos 15 dias antecedes à prova, fiz questão de estar presente por um lado para atestar o meu nível de forma tendo em vista objectivos a médio prazo e, por outro, por ter uma grande afinidade com Viana do Castelo, capital de distrito de Melgaço , minha terra natal: Sou minhoto :)

Esta meia-maratona, também conhecida por Meia-Maratona Manuela Machado por ser uma homenagem a essa grande atleta filha da terra, é bastante dura devido ao constante sobe e desce, ao vento que por vezes se faz sentir e ao facto de parte do percurso (quase no final) ser em paralelo.

Por outro lado pareceu-me bastante bem organizada, com a oferta de um bom saco aos atletas (onde até não faltou uma garrafa de vinho :) ), com muita participação e com muitos atltetas vindas da Galiza (segundo as classificações mais de 400).

Quanto à minha prova em si, apesar de estar mal preparado, arrisquei um andamento razoavelmente forte no inicio e até aos 15Kms, altura em que “estourei”, a coisa correu bem. Os últimos 6 foram feitos em grande esforço e sofrimento, tendo feito mesmo assim um tempo interessante: 1:35:59 (eu sei que é um preciosismo, mas fiz um esforço final para não passar para o minuto 36 :) )

Mais informações sobre a Meia-Maratona de Viana em http://www.mmviana.com/

Por último referir que toda a “telemetria” destas provas bem como dos treinos e actividades que vou fazendo, podem ser vistos no meu GARMIN Connect

XI Vig-Bay 11.04.2010 – Resultado Histórico

  

 ChegadaSe há provas que são marcantes, seguramente para mim, esta foi uma delas:

 

 Já mal me recordo de qual foi a ultima Meia-Maratona que corri.
Tenho ideia de ter sido a Meia-Maratona de Cortegaça, no já longínquo ano de 2002, com um tempo a rondar 1:37:00.
Tenho, isso sim a certeza que de todas as Meia-Maratona que fiz, nunca tinha conseguido fazer um tempo abaixo de 1:30:00 e que esse era um objectivo que gostaria de um dia alcançar.  

Pois bem, ele ai está numa prova que posso chamar de “perfeita”:  

Diploma Vig-Bay 2010
Diploma Vig-Bay 2010

Ambiente fantástico
Mais de 3500 atletas à partida  

Percurso lindíssimo
Vigo-Nigran-Bayona pela costa  

Tempo espectacular
Primeiro fim-de-semana a cheirar a verão do ano  

Tudo correu bem
Levantamento de dorsais, descanso, alimentação, aquecimento, hidratação
Física e psicologicamente “limpo”
Táctica da corrida  

Escusado será dizer que no final fiquei tão contente e festejei como se tivesse ganho :)  


Links relacionados:  


Análise e algumas considerações sobre diversos aspectos relacionados com a prova

Ponto prévio: esta análise e considerações não são de carácter técnico e científico, mas apenas baseados na minha experiência antes e após a prova.  

1. Treinos
Nas semanas que antecederam a prova, tinha andado a preparar com alguma intensidade e entusiasmo o X-Terra, preparação essa que incidiu mais na natação (5x semana) e no BTT (2x semana) e apenas manutenção na corrida (2x semana alternando treinos longos – entre 1h15m e 1h45m- mais lentos, com treinos mais curtos mas mais rápidos – entre 40m e 1h ).
Na semana antes da prova fiz um treino longo no domingo,  descanso na segunda, um treino longo na terça  e mais curtos e rápidos na quarta e quinta. Na sexta fiz um treino de cerca de 40 minutos a rolar e no sábado descanso.  

2. Definição de objectivos
Como já há muito que não fazia uma maratona, o objectivo principal e obrigatório era terminar.
Como segundo objectivo (e atendendo a minha experiência anterior) obter um tempo abaixo de 1h45m seria bom, abaixo de 1h40m excelente. Tudo o que viesse daí para baixo seria ganho e se conseguisse abaixo de 1h30m seria espectacular.
 Acima de tudo conforme as sensações e o decorrer da prova, os objectivos seriam ajustados.  

3 . Antes da prova
No sábado, ao ir para Melgaço, fiz um desvio por Vigo para levantar os dorsais. Tive uma tarde de sábado descansada aproveitando para me hidratar bem bebendo muita água, preparar e verificar todo o equipamento e acessórios necessários para o dia seguinte. Ao jantar fiz uma refeição rica em hidratos e antes das 23h00 já estava deitado.
No domingo levantei-me por volta das 6:30 (tinha combinado encontra-me com os meus companheiros do AFIS em Valença por volta das 7:45 da manhã, seguindo depois todos juntos para Vigo).
Chegamos à zona de partida sensivelmente uma hora antes da partida, o que permitiu fazer o aquecimento uma última ida ao WC sem pressas e sem stress.  

4. Equipamento e acessórios
Além do equipamento normal de corrida, nesta prova utilizei umas meias de compressão Sugoi R+R (Race and Recovery) que segundo os entendidos promovem a eficiência do movimento, melhoram a circulação sanguínea, a estabilidade e recuperação musculares.
 Além disso e como se antevia um dia de muito sol e calor, decidi usar um chapéu, os indispensáveis óculos de sol e protector solar.
Por outro lado, para evitar a irritação nas zonas de maior fricção apliquei um pouco de bodyglide  

5. Alimentação e hidratação
Como já referi atrás, durante a tarde de sábado bebi muita água e à noite fiz uma refeição rica em hidratos. No dia da prova tomei o pequeno-almoço às 7 da manhã (pão de cereais com mel e queijo meio gordo, uma laranja grande e uma mistura solúvel multi-cerais com café). Até à hora da partida fui bebendo pequenas quantidades de água e 10 minutos antes da partida bebi um gel energético.
Como de facto estava muito calor, era importante fazer uma boa hidratação durante a prova, pelo que utilizei todos os abastecimentos (aos 5, 1º, 15 e 20Kms), bebendo cerca de meia garrafa de água e utilizando a outra metade para me refrescar. Além disso, também me socorri das esponjas fornecidas aos 7,5, 12,5 e 17,5 Kms para limpar o suor do rosto e refrescar.  

6. Táctica de Corrida
Uns dias antes, tinha falado com um companheiro de corridas que me disse que muito provavelmente faria um tempo à volta de 1h35m.
Estava indeciso: se por um lado gostava de tentar fazer um tempo abaixo de 1h30 (o que dava uma média de 4,16 ao Km) por outro lado não sabia até que ponto iria aguentar  

Perfil Vig-Bay 2010

Perfil Vig-Bay 2010

Sabia que conseguia manter esse ritmo durante 10 Kms (as ultimas provas realizadas davam-me essa garantia).
Como me sentia bem e a prova tinha uma altímetria favorável (pendente de descida entre os 8 e os 16Kms) decidi tentar e depois, com o decorrer da prova logo via: se conseguisse manter o ritmo tudo bem caso contrário diminuía o ritmo para conseguir terminar  

7. A corrida
Parti na zona destinada atletas com pretensões para tempos entre 1h25 e 1h35. Desde o tiro de partida até cruzar a linha demorei 50s mas ao fim de um KM já tinha encontrado o meu ritmo aproximado e por volta do Km 3 consegui colar-me ao meu companheiro Paulo Alexandre do AFIS com quem fiz os primeiros 8 Kms (ele depois foi ficando pois nos últimos tempos não tinha podido treinar). As sensações durante a prova foram sempre boas e o relógio dava ânimo :) .  

Analise parciais Vig-Bay 2010

Analise parciais Vig-Bay 2010

Entre os 8 e os 10 Kms consegui integrar-me num grupo de 4 ou 5 atletas que iam com o andamento dentro da zona alvo. Comecei a acreditar que era possível e confirmei esse sentimento quando passei com 1h02m as 15 Kms. Nesta fase da prova o desgaste já começava a fazer mossa, mas fui-me aguentando até passar o ponto crítico dos 18 Kms. Os últimos 3 Kms já foram mais corridos com a mente do que com as perna: o Grande objectivo estava tão próximo, e não sabia se teria outra oportunidade como aquela, por isso foi aguentar o ritmo e sofrer até ao fim…    

8. Factores críticos para o sucesso
Como conclusão, um resumo dos aspectos que penso serem fundamentais para atingir com sucesso os objectivos:  

Treino: para se fazer uma Meia-Maratona tem que se estar minimamente preparado   

Estar “limpo” – É muito importante não ter nada que condicione o rendimento no dia da prova, quer física quer psicologicamente  

Equipamento e acessórios: Preparar o equipamento com calma e antecedência para que no dia da prova não falte nada  

Descanso e alimentação: Tentar descansar bem e fazer uma alimentação equilibrada antes da prova  

Hidratação: É fundamental estar e hidratar-se bem durante a prova para evitar complicações físicas e para prevenir cãibras  

Objectivos: Definir um objectivo (atingível) e “trabalhar” a prova nesse sentido, sendo no entanto muito importante conhecer os nossos limites e até onde podemos ir.  

Encontrar o ritmo certo: é importante encontrar o nosso ritmo e mantê-lo, evitando ir no entusiasmo gerado, principalmente nos kms iniciais. Por outro lado ter a capacidade de ir ajustando o ritmo em função do decorrer da prova. Se possível tentar encontrar um grupo onde nos sintamos confortáveis     

Capacidade superação e sofrimento: numa prova passamos sempre por momentos menos bons, mas nessas alturas é necessária uma capacidade de superação e sofrimento muito grande  

Por fim, com a meta à vista, saborear o momento :)